14 de agosto de 2016

Noite e dia, dia e noite

morre o dia
chega a noite
que abriga seus filhos na face sombria
sussurra segredos íntimos
grita ou canta um hino de sangue
trágico traço das horas
vem a luz do sol
vive o eu
permanecem as boas energias
realizam-se coisas
trilham-se sucessos
morre o dia
chega a noite
contraste brusco
ventania
volta a estrela
a brilhar
a esparramar as mais brandas sensações
chega a noite
contrasta o dia
gira a roda, o moinho
produzindo o que há de ser consumido
fecha-se o ciclo
recomeçam os sinos
as lendas
e as dúvidas
vive o dia e a noite
vive o ser e o não ser
vive-se

além do entendimento
(Gláucia Minetto Martins)

Um comentário:

  1. Gosto do dia cheio de vida, alegria, mas também gosto da sensação de viajar a noite. Observar a estrada, misteriosa e silenciosa, ver a cidade em silêncio.
    Excelente poesia

    ResponderExcluir