14 de agosto de 2016

Controle

Lobo
Sedento por sangue
Amargando a nostalgia da lua
Fio invisível de uma alcateia quase extinta
Perdido na noite
Desgarrado dos semelhantes
Instinto assassino
Sentimento profundo

Menina
Perdida por entre os prédios
Escalando ideias
E solidões
Seu uivo ou seu canto
Fala de marcas
E desejos

Ela chega ao telhado
De uma casa qualquer
Perto da floresta
Pequena reserva
No meio do cinza

O som que sai de sua boca
É triste ou feliz
Não se sabe ao certo
Mas seja qual for a mensagem
Ela consegue ouvir ao longe
Uma resposta
De um lobo perdido
Mas nem por isso partido
Que sabe seus hinos
Procura controle
E encontra em qualquer lugar
Inclusive dentro de si.

(Gláucia Minetto Martins)

Nenhum comentário:

Postar um comentário