29 de julho de 2016

Continua

olha no meu olho
e diz que você não se importa
que o passado é irremediável
que as coisas agora são outras
disfarça de novo então
esconde a tristeza que vi nos seus olhos
continua na prisão de um amor supérfluo
aceita sua coleira tão macia
mas sonha com outros caminhos
diz que ama outra
pra me ferir
viva assim para sempre
mantém sua covardia
e pense ser feliz
como em todos os dias que te encaro
e você se esconde
na tua vida estranha e vazia
continua
e depois volta pra me dizer
como viveu
e com o que sonhou.

(Gláucia Minetto Martins)

Nenhum comentário:

Postar um comentário