29 de julho de 2016

A todas as verdades


A todas as verdades:
Achei que as tinha encontrado.
A todos os meus medos:
Achei que os tinha enfrentado
A todas as minhas paixões:
Achei que tinham sido fortes o suficiente.
Mas é claro que nada sou 
Perto dessa imensidão.
E o nascer e o por de sol que eu observo
Também são meras pinceladas
Na história do universo.
É preciso acalmar-se
Admitir as fraquezas e as verdades
Parar de alimentar o ego
Pra alcançar o divino êxtase 
Que é descobrir que as pequenas coisas boas que passamos 
É a tão sonhada e tão temida... felicidade.
Que existe mesmo em meio as nossas provas e expiações...
Que é a forma de enfrentarmos
Essa coisa misteriosa 
Que é a vida
E o fato intrigante de que ela é una
(Mas tanto muda).

(Gláucia Minetto Martins)


Nenhum comentário:

Postar um comentário