18 de abril de 2016

Súplica do querer

Como eu te quero
Ninguém pode dizer
Além do meu corpo,
Dos meus olhos na tua pele
E no teu cabelo.
Como eu te quero...
É mais que a fome
Que insiste todo dia
É mais que o sono
Que chega a toda hora
É mais que a sede de intelecto
Mais que necessidade de ser alguém
Mais que a inconformidade dos nossos padrões...
Eu te quero como fome!
Como febre
Como ímã
Como o ar que me mantém viva
Como o poema que eu escrevo
Como os sonhos que eu sonho além mar,
Além de mim.
Eu te quero em toda a sua sutileza
Em toda a sua estranheza
Em toda a minha ilusão
Em toda a minha lucidez
E em toda a minha súplica.
Eu te quero com maior intensidade
Do que a imagem desse anel na sua mão direita.
Eu te quero
E espero poder não mais te querer
Quando eu parar de te ver todos os dias.
Eu te quero.
Eu repito, eu canto
Que lhe quero..
Quem sabe você não escuta
Que eu te quero por inteiro
Te quero bem.
Te quero no meu ser,
Meu bem.

(Gláucia Minetto Martins)

Nenhum comentário:

Postar um comentário