10 de dezembro de 2014

Sobre a roupa que lavei, sobre a roupa que doei


Joguei fora nas curvas do tempo
No tic tac da estrada
Porque você é uma lembrança
Que não me serve mais

(Gláucia Minetto Martins)

2 comentários:

  1. 'Roupa' foi uma inspiração brilhante, no título. Roupa é o que nos veste, o que nos cobre, o que nos aquece no frio, o que nos identifica, nosso estilo de vida, nosso gosto. Quão lamentável é perceber que aquela roupa já não nos cabe, que precisamos doa-la a alguém, às curvas da estrada, ao passado, ao esquecimento!... Belo, íntimo e, se tirado da realidade, talvez dolorido, talvez resignado, mas um poema estupendo, perfeito, grandioso. Ler-te é uma viagem considerável, ou para dentro de ti, ou para dentro de nós mesmos, ou uma simbiose dessas duas magníficas viagens. Beijossssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada!!! Eu nunca tenho palavras suficientes para agradecer os seus comentários, nem para comentar o que você diz neles! Você entende tudo perfeitamente.
      Mil beijos.

      Excluir