5 de maio de 2014

Sol, lua e serenata


A luz do sol veio te beijar
Deixou seu abraço no seu corpo e nos seus cabelos
Música na tua cabeça
E o amor em teu coração.
Agora você olha para o mundo de um jeito diferente
Fica em silêncio olhando para as árvores.
A menina passa, que descompasso
Acelerada a respiração.
De dia você lhe mostra a natureza
Quando o sol se põe
A lua enfeita a serenata que você lhe dedica.
Aqui embaixo homem e mulher se gostam
Lá em cima lua e sol se completam também.

(Gláucia Minetto Martins)

3 comentários:

  1. Por um instante, pensei tratar-se de uma música que eu desconhecesse. Se poemas têm perfume individual, este terá o frescor das flores do campo, o perfume de um amor novo, jovem a pouca idade, primaveril. Se poemas tem um som, o som desse é de piano e do farfalhar das folhas das árvores ao vento. Fizeste algo raro de belo, um poema de namorados, suave, e indescritivelmente agradável. ‘Homem e mulher se gostam... sol e lua se completam também...’ Encantamento. Beijosssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lucas! E você completou o meu poema, com uma harmonia que eu não tinha pensado. Beijos!

      Excluir
  2. Primeiramente, muito obrigada pela sua doce visita. Volte sempre que quiser, pois será muito bem-vinda. Que poema mais lindo. Adorei analogia entre o sol e a lua com casal de enamorados. Ficou um verdadeiro encanto. Parabéns. Beijos.

    ResponderExcluir