29 de abril de 2014

A canção mais triste do mundo


não sei mais quem sou
acho que desapareci
fui embora com a poeira que o vento levou.
acho que foi assim
eu deixei de existir
sentada naquela cadeira,
mendigando cada olhar seu
perdi talvez a dignidade
um pedaço da minha alma
da minha alegria
me deixei levar
só por querer você.
por que te querer parece ser querer de mais
mas por que é que eu fui um dia desejar
o que só me faz mal?
me deixou assim sem vontade até de falar
estacionada na minha vida já tão monótona.
cada palavra que não recebo
é como uma pancada no meu rosto
agora está ardendo
uma dor humilhante e drástica
me mostrando a realidade
me gritando que não poderá ser...
nada do que sonhei...
hoje as coisas estão piores
hoje eu quero chorar
pois me sinto faminta e tola
criança indefesa nas tristezas dessa vida.
por que eu não posso nunca ficar em paz
e me vêm logo a sombra do passado?
que me leva pra lugares tristes
retêm as dores de um amor não correspondido,
nem sequer reconhecido.
está doendo
e o meu coração chora
bomba o sangue em ritmo de luto.
afinal eu fui te ver
pra ficar feliz como como se fosse na última vez
pra buscar a felicidade
que apesar de tudo
existe de você pra mim
mas foi uma terrível ideia
algo me lavou
me jogou no chão frio
me deu seus olhos por apenas um segundo,
a visão de você ainda amando outra.
por que não pode ser eu?
o que eu fiz pra não merecer o seu amor?
talvez eu esteja pagando por alguns dos meus erros
mas essa pena é tão pesada.
por que a gente tem sempre essa esperança
de que essa é uma história diferente,
que dessa vez vai, vai dar certo?
eu estou cansada de ser assim quem sou
mas só por hoje
por hoje preciso de alguém pra me salvar.


(Gláucia Minetto Martins)
fevereiro/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário