30 de julho de 2013

Nós


Eu sei que você foi feito só pra mim
E meus olhos não podem acreditar
Nas coisas lindas que eles captam em você
Eu quero tudo isso, eu te quero do meu lado

Nós podemos andar de mãos dadas por aí
Nos perder no Rio, São Paulo ou BH
E mesmo assim as ruas se abririam pra gente passar
E todo mundo nos ajudaria a encontrar o caminho
Porque não podemos nos perder
Além de um no outro

Ei você, eu quero saber
Se vai acordar comigo todo dia
Se pode me beijar no fim de cada hora
E aí, a cada minuto o coração vai bater
Buscando sempre mais do nosso amor

(Gláucia Minetto Martins)

24 de julho de 2013

Danificado


Eu pensava que tudo estava bem
Que o seu mundo não estava desabando
E os seus passos estavam te levando pra casa
Mas agora eu descobri que você está quebrado
Que os meus medos são verdade...

Você não sabe mais onde é sua casa,
Quem te espera pra dormir e pra te amar
E agora perdeu também a sua identidade
Porque o seu próprio jeito te afastou
Daquilo que você mais gostava

O meu jeito, a minha casa e o meu amor
Sempre estiveram aqui, vivos, prontos pra você
Mas não recebi nada mais que o vazio de um sonho 
E palavras viciadas de alguém sem emoção

Vêm pra mim enquanto é tempo
Porque o pra sempre é muito grande pra esperar
Quem não sabe se vai poder oferecer
Tudo aquilo que anseia em receber...

(Gláucia Minetto Martins)

20 de julho de 2013

A Hospedeira - Stephenie Meyer





"Melanie Stryder se recusa a desaparecer. Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente."

Ganhei  "A Hospedeira" - Stephenie Meyer, de um amigo, quando já tinha outras leituras na frente. Eu tinha vontade de ler logo a história, mas nunca desconfiava que ia gostar tanto. Estou completamente apaixonada por esse livro, que devorei em quatro dias. Não queria saber de outra coisa, a curiosidade pelo que ia acontecer em seguida aumentava cada vez mais. 
A narrativa é original e muito bem estruturada. Fala sobre o amor, explorando esse sentimento de um jeito inédito, interessante e lindo. Mostra sua origem na vida de Peregrina, seu desenrolar cheio de aceitação, sofrimento - no caso inevitável, e de significado tão grande que ultrapassa as barreiras até mesmo interplanetares. 
A narrativa explora também a esperança, o direito de acolhida, a morte e a vida, de um jeito sutil e altamente apaixonante. 
Vale a pena ler "A Hospedeira".

ainda haverá você, eu sei que restará você


eu não posso prometer que essa é a última vez
que escrevo sobre você
mas eu quero que seja...
já não me importa todo o tempo que passou
não faz mais sentido medir a minha insistência nos ponteiros
porque eu sei que nunca vai passar
e não quero carregar uma medida que não diz nada,
só ilustra minhas bobagens.
porque eu sei,
eu sei que o tempo passou e eu continuo aqui
e você continua aí levando essa sua vida incerta
mas feliz, eu acredito...
você tem as suas coisas
o seu mundo, a sua música
e outra pessoa nos seus braços
que nunca foram meus.
eu já pedi perdão por guardar tudo na minha cabeça
mas por mais que eu te liberte
ainda haverá você, em ecos no meu coração

(Gláucia Minetto Martins)

17 de julho de 2013

Sobre o amor



O amor é o nosso não à solidão
É o compartilhamento de uma vida
É duas ou mil almas que se unem...
Desde a mais complexa Trindade
Até o amor tão simples que todo mundo conhece.

Eu vou morrer jurando que o amor
É o que liga tudo o que há nesse universo...
É o ingrediente secreto
A energia que criou o Big Bang...

É o que nos leva do começo ao fim,
Prende nossa memória e cura junto com o andar dos ponteiros
Porque esse é o sentimento que existe em tudo...
E até quem odeia a tudo e a todos,
Nem que a boca profira, não quer morrer sozinho.

(Essa é mais uma contribuição para a Corrente Literária.  Dessa vez, o tema é "Amor, o que é para você?")

14 de julho de 2013

O que é preciso para ser feliz


Eu quero é saber quem é exatamente feliz,
Porque é possível!
Ser feliz é estar bem, é o agora
Apesar de todas as coisas que a vida carrega.

E estar bem apesar de todas as coisas é saber libertar-se,
É saber relevar todo mal,
Amando a graça de cada momento que chega
E desprezando os poréns nas horas boas.

Porque nenhuma vida é perfeita
E ninguém pode dizer que não há problemas.
Mas além do caos
Há a vida e o presente...
Há o futuro que dança perante os nossos olhos.

É preciso que a felicidade seja apenas a existência,
Que a felicidade seja o estado de espírito
Das horas em que os problemas desaparecem.

(Gláucia Minetto Martins)


3 de julho de 2013

Juntos


eu sinto que tudo entre nós é tão lindo
é leve e livre, é bom e claro
eu sinto nós, eu apenas sinto
e eu queria mais.

pergunto como você se sente
e eu fecho os olhos quando a resposta está por vir
eu sei bem que você está pensando tanto
porque eu sei que você não quer ter
essa ausência de sentimento...

você pode ter certeza que eu me lembro
de todas as coisas que aconteceram
e também daquelas que ficaram para acontecer
e se eu ainda quiser, a mim nada custarão
mas a você sairá bem caro
porém nós sabemos o quanto seríamos bons...
juntos.

(Gláucia Minetto Martins)


Meu vício


Meu vício me abandonou...
Surgiu dentro de mim com apenas um olhar
Cresceu o corpinho inquieto,
Alimentando-se das esperanças e bobagens.
Amadureceu a pequena mente 
Adormeceu muitas vezes
E assim ficava por muito tempo,
Mas quando acordava 
Pisava tão forte dentro de mim
Fazendo tudo ficar dolorido.
Meu vício tem nome
Foi batizado quando notei sua presença
E recusei-me a abandoná-lo.
Mas agora, depois de algumas centenas de dias
Ele se sentiu pronto para ir.
Eu deixei, porque faz mal segurar as coisas
Que não querem ficar...
Meu vício me deixou,
Porém às vezes eu sei que olharei
Os álbuns de fotografia. 

(Gláucia Minetto Martins)