4 de janeiro de 2013

O que ficou, o que me fez ser




Eu ouço uma música que abre um buraco no peito. Eu me lembro do que fui, quando tudo era tão natural. Eu ouço e sinto a melodia rasgando as camadas que construí por resistência... Mas uma resistência a nada, talvez aos anos que passaram.
Eu posso ver o abismo em que os dias ficaram enterrados, encobertos pelo tempo. A música revira o que foi, o que eu quis ser e o que eu serei.
São amores perdidos, idades e sentimentos que não voltam... Ilusões doces e puras que preenchiam os dias belos da transição das épocas de nossas vidas.
Ouvir certas músicas me trazem esse sentimento. Saudade. Nó na garganta e incômodo no coração. E, mais além, quase invisível, a vontade adormecida de um beijo ou abraço jamais recebido.

(Gláucia Minetto Martins)

Nenhum comentário:

Postar um comentário