28 de janeiro de 2013

Ele e Maria

Wheatfield, Van Gogh

Maria, calma, minha filha
Que o teu homem já vêm.
Vai rimando os causos da tua história,
Que o teu homem já vêm.
E ele vêm pra que tudo seja belo, Maria.
Dia após dia ele virá,
Grande amor que lhe tem.
Há hora nenhuma que ele não lhe queira
E diz que és bela feito índia.

Sente-se o afeto a milhas daqui
Feito brisa que chega à tardinha...
O amor a viajar, 
Vivo, tão grande que és.
Sinta-o, Maria, ele vêm para você
Vai correndo e segura bem forte...
Tem dessas o que nunca há de partir.

Ambos são tão jovens, Maria
E sempre hão de ser.
Ficam pasmos os que podem vê-los
Juntos, assim, radiantes e repletos
Nas campinas, caminhando.
Longe, longe, mas perto, sim
O que é mau pra quem tanto ama?
Para casa é sempre perto.

Senhor, que tanto vê, abençoa-os.
Feliz, Ele o faz...
Raio de sol ganha mais brilho lá no céu.

Sempre assim será, Maria
Tudo o que constroem 
Alma tem dentro de si.
Aos teus filhos que virão,
A felicidade já os atinge.

Bom é o amor de vocês
Cada qual, de mãos dadas,
Deixa pegadas no solo da História.
Beijos ternos para sempre selarão
O que vocês são um ao outro.

(Gláucia Minetto Martins)
26 - 28/01/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário