6 de dezembro de 2012

Vamos falar sobre o fim do mundo



Se o mundo acabar, o que é que eu fiz de bom? Nada. E se eu morrer amanhã, de infarto, acidente de automóvel? E se um avião cair no meu telhado? Eu só pensei. Eu só mexi os dedinhos em um teclado, remoendo as coisas que valeriam a pena que eu fizesse, caso o mundo acabasse em dezembro.
É sempre assim. Se eu fosse fazer o que quero antes de o mundo acabar, precisaria ser feito cinco minutos antes, pois eu não aguentaria viver uma hora, ou mais, tendo dito o que guardo comigo. 
Se as coisas precisam ser feitas no último minuto de nossa existência, pra não ver as consequências, a coisa tá feia. Isso nunca será feito. 
Porque o mundo não vai acabar em dois mil e doze.

(Gláucia Minetto Martins)

4 comentários:

  1. Adorei suas considerações, minha querida... Sempre muito inspirada, simples e talentosa.
    Apesar dos absurdos que a gente ouve nessas épocas, é sempre curioso pensar no que fazer, como fazer... no seu caso, se faria...rs
    Eu não ia fazer nada de muito material tipo comer demais, sair pelado na rua ou comprar em prestações a perder de vista. A visão da diretriz espiritualista muda tudo, deixa qualquer mistério sem graça. Fazer o que?
    "O que eu poderia fazer aqui, faria do lado de lá..." ou seja: numa roda de amigos, eu seria o de ações mais sem sal diante do assunto 'fim do mundo'.
    Mas há questionamentos: dizem que o Niemeyer subiu esses dias pra projetar o novo planeta...

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Flávio. Adoro as suas visitas.
      E com certeza esse mundo será belo ^^

      Excluir