1 de novembro de 2012

O que a noite nos reserva



À noite, tudo se intensifica.
A noite, a tudo alucina.

A noite é o ápice das horas,
o luto pelo amor 
e a trégua dos aflitos.

É sangue 
que borbulha nas veias.
É recuo,
é descanso.

À noite tudo perde a conduta
tudo vira roleta russa.
A noite rouba o lugar onde vivemos
toma-o e ocupa-o com o espírito negro
de todos os sentimentos
e de todas as permissões.

À noite,
Capitu pode trair Bentinho
porque tudo está à flor da pele.
Tudo é chaga aberta
tudo pulsa e espera.

(Gláucia Minetto Martins)

5ª edição da Corrente Literária. O tema, "o que a noite nos reserva?"

.

2 comentários: