11 de novembro de 2012

Como um segredo, o mistério



Eu vejo você
fazendo o que mais há para se fazer:
ser feliz.

Talvez seja apenas ilusão
proporcionada pelo sorriso
que as suas fotos retratam.

O sorriso ao lado dela.
E quem mais há de ser?
Alguém que te aceitou
como você é
como você merece.

Eu não chamei-o de amor
eu não poderia mentir
nem a você,
nem a mim mesma.

Eu te perdoo
por todas as aflições que me fez passar
e peço o seu perdão
por todas as lágrimas que lhe proporcionei

Sinto que você absolveu-me da tua vida
com razão.
Mas sinto também
que esta não é total.
Você ainda pensa...
E pode me dizer isso
com todas as letras.
Não é incômodo algum
apenas mistério.

O mistério que nos persegue
dia e noite.
Como um segredo, nos une.
Que não nos deixará jamais
e talvez possa revelar-se
quando não formos mais
que meros caixões.

(Gláucia Minetto Martins)

2 comentários: