14 de novembro de 2012

Amizade

- Tou super, super, super feliz!
- Legal.
- Você não vai perguntar o que é?
- Ahn. Que que é?
- Grosso.

- Cê é chato.
- Aff.
- Não sei por quê ainda sou sua amiga.

- Cê fez o trabalho?
- Fiz.
- Deixa eu copiar?

- Nossa, que mer@#¨!*. Vou tirar uma foto disso.
- Tá gata?
- Tá.
- Põe no Facebook.

- Chato.

- Tô de TPM.
- Vish.

- Páaaaaaaaraa!
- Coisa feia.
- Coisa chata.
- Fedô.

- Você não aceita de jeito nenhum, nem pensa se quer, na possibilidade de pedir desculpa? Você não é o centro do mundo. Você tá complicando tudo isso, que seria uma coisa tão simples, só porque você não enxerga de jeito nenhum que o errado é você. Você que errou. Peça desculpas. Por que prolongar tanto essa história que já podia estar resolvida? Pelo seu orgulho idiota. Abre o olho. Acorda pra vida. Pelo amor de Deus.
- ...
- Você é a pessoa mais orgulhosa que eu já conheci. Isso vai te trazer muitos problemas. Já traz. Como minha mãe fala, você ainda vai sofrer muito na vida.
- Legal. Tchau.
- Ainda não sei por que continuo falando com você. C#.

- Não tô mais falando com você.
- Então por que falou isso agora?
...
- Falei que não ia mais falar com você e hoje é o dia que mais conversamos.
- Hahaha.
- Ainda tô brava.

- Escreve uma poesia pra mim?
- Tenho que estar inspirada.
- Você escreve pra todo mundo e não escreve pra mim. Beleza.
- Eu vou escrever, fica tranquilo.

- Pára de fazer psiiiu pra mimmmm!

- Cê viu o vídeo lá no Facebook?
- Vi.
- Então por que não curtiu?

- Bom dia.
- ...

- Não olha pra ele dando risada assim!!! Ele vai perceber que era pra ele.
- Era a intenção.

- Nossa, cheira isso aqui, ficou até com o cheiro dele.
- Nossa!

- Cê é gay.

- Cê me marcou por último naquela postagem, né?

- O quê eu vou falar no trabalho de História???? Tô desesperado. Vou ler o papel.
- Vai bos#!@ nenhuma. Daqui que eu vou escrever o que você tem que falar.
... 
- O quê que tá escrito aqui?
- "Representantes políticos das províncias".

- Me dá um Kinder ovo? Me traz alguma coisa da viagem? Me compra um churros? 

- Owwwn, que correio elegante lindo!

- Olha minha corujinha!
- Parece um pinguim!

- Posso juntar pra fazer o exercício?
- Pode.

- KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Que mer#@!*

- Estraga prazer!

- Fala uma cor de esmalte.
- Azul.
- Quê azul?
- Azul sky. 
- KKKK
- Blue blue.
- Que gay.



(Gláucia Minetto Martins)

7 comentários:

  1. Afs, como assim você não falou do juca?!

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. o samuca tá incluso em "Me traz alguma coisa da viagem?"

      e eu devia acrescentar ali no final:
      - como assim você nem agradece pelo texto?

      Excluir
  3. Só para constar, eu, Alex, na madrugada de um dia qualquer durante as férias de verão, estava re-lendo seus ótimos versos para lembrar o quão a minha amiga, você, é boa em escreve-los. A propósito, isso nao é uma poesia, são meros sms's, aguardo a poesia dedicada a mim até o fim dos tempos. Até mais.

    ResponderExcluir