7 de outubro de 2012

Paz



Não posso te ver 
Eu fecho os meus olhos
 E o seu rosto brinca com o meu... 
O teu chamado. 

 A nossa história
 Está também nos espelhos do céu 
Esses que refletem os passos
 Das nossas crianças

 O meu corpo não pode aguentar
 Os seus ombros não podem segurá-lo 
Diante da força dos meus músculos
E da minha emoção. 

 Nossas frontes estão unidas
 Como elo inquebrável 
E as frontes das nossas almas 
Unem-se desde sempre 
Até que a última lágrima caia
 Que a última célula esmoreça
 E além... 
Além do que podemos sentir.

 As tuas mãos
Templo do nosso amor, 
Das tuas ações
 As quais não lhe nego, 
Lhe sigo 
Giro em torno. 

 A paz é pássaro 
Que mantém livre nossos dias 
Batendo suas asas 
 Em cada segundo dessa união

.(Gláucia Minetto Martins)

2 comentários:

  1. Você foi incrível mais uma vez, Glaucinha! A imagem diz muito pouco perto do que você descreveu sentir.
    Gostei muito da "viagem"...
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou ^^
      Eu tentei fazer algo bem profundo mesmo hahaha
      Me inspirei nessa imagem, porque gosto muito dela. Coloco no meu desktop e fico observando. Acho que tem uma grandeza, uma paz, que sei lá!

      Excluir