22 de agosto de 2012

A convivência


Estive pensando 
Como nossos sentimentos são irremediáveis.
Como sem querer ou parar pra pensar
Amamos o mundo em que vivemos.

O sentimento bom ao ver um pôr-do-sol
Ouvir a chuva caindo lá fora,
Pra lavar toda mancha
Que insiste em grudar nos nossos dias
É nossa humanidade
Nossa fragilidade e ponto forte.

A água, o mar
O sol, as nuvens, as estrelas...
O céu.

A grama, a brisa quente,
O mar. 
O mar, aliás
É como o amor da mulher pela maternidade...
Mesmo se ainda não contemplamos
O rosto sempre perfeito de nossos filhos,
Já amamos.
Esperamos, calmamente
Pelo encontro.

O nosso amor pelo mundo
Pela Pátria (mesmo às vezes renegada)
É certo.

Podemos ser solitários
Frios, desagradáveis...
Mas em nosso coração há sempre algum sulco
Marca ou elevo 
Que assemelha-se aos nossos continentes...

(Gláucia Minetto Martins)

2 comentários:

  1. Pura verdade Glaucia, dentro da gente existe uma faísca do nosso canto, do nosso lugar. Uma marca de pertencimento que nos é parte do todo.
    Lindos versos! Menina, imagem perfeita!

    ResponderExcluir