25 de abril de 2012

Destino... Será?



Seu destino é exercido dentro de você mesmo, em seus impulsos...
É força que nasce no céu e instala-se na alma.
Seu destino habita as gotas de um falso acaso que caem aos poucos...
Seu destino é tecido pelo livre arbítrio.

23 de abril de 2012

Dos milésimos à eternidade


Perdi as horas no galho da árvore mais próxima
Pra falar a verdade, escondi...
Peguei-as emprestadas de um coelho que passou correndo
Gritava por uma tal de rainha...
Maluco, coitado...

Desesperou-se mas não teve tempo de procurar seu tic-tac
Quem disse que o tempo é o seu relógio?

Se é que o tempo existe, já nem sei
Mas tentei prendê-lo lá no alto
Pra ver se não volta a afligir o bichinho confuso
E mesmo se adiantasse, seus pezinhos continuariam correndo
Como sempre vai ser.

Levando minha alma por mares, marés e histórias



Dos meus sonhos mais bonitos
Resta a vontade de coisas que nunca fiz
Que nunca farei,
Que na verdade não sou...

Os meus sonhos mais bonitos
São habitados por pseudônimos.
Amor, coragem, ousadia, doação...
Honra respingada de sangue, suor e desejo

Nos meus sonhos mais bonitos
A menina sorri, o olhar malicioso
E os gestos ágeis.

Um pedaço de identidade preso nos meus ossos tão sólidos
Mas preso confortavelmente...
Identidade falsa,
Alimentada pela paixão à enigmática, intensa e bela
Vontade de viver.