7 de janeiro de 2012

Subsistência


Hoje é o dia em que se pode sonhar e realmente sentir
Um toque que tudo muda,
Até mesmo se durar por um instante...

Chegou o dia em que se pode deixar de olhar pra frente
E olhar para os próprios pés, guiando-os agora,
E não alimentando um futuro que chega com o presente

Chegou o dia em que o ponto final transforma-se em reticências
Chegou com os fogos, chegou quando, um dia,
Alguém resolveu traçar umas linhas meio incertas
E criou um mundo tão particular, que vêm de dentro de si mesmo
E traz mistérios que ninguém sabe desvendar

A vida, chama, febre...
A vida, chamas, fere...

Inflama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário