14 de janeiro de 2012

A cura ou a maçã


Não me chame pelo nome
Não segure minha mão
Descubra-se ao sabor dos instintos e formas
Que superam-se a cada vez...
Mais e mais...

Explora esse caminho que lhe é aberto
Dê o melhor de si mesmo
Ame o que faz e o que abraça.

Aconchega a alma e a face
Intensifique cada segundo
Olhe nos olhos e sorria, vivo e seguro

Ria do fogo que incendeia a alma
Perca-se no vai e vem do mistério
Permita-se e aja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário