7 de dezembro de 2011

Poema esquecido


Estou caminhando,
Deixando pegadas na areia...
O que virá me é incerto
O que virá é agora remediado
Diante de nossos olhos
Nada misericordiosos

A cada momento a vida se esgota...
Mais e mais...
Minha casa que é de pedra
Não se rompe com o vento...

Minha casa é divida
entre carne e osso,
alma e opinião.



Nenhum comentário:

Postar um comentário