7 de dezembro de 2011

Estradas


As rodas giram, rápidas.
Um desespero imaginário.

As mentes divagam,
Passeiam como os carros...

Caminhões, em sua carga:
Vidas pesadas.

Essas fitas correm, guiam
Pelas cidades fantasmas

Encontra-se repouso na solidão de quartos escuros,
Hotéis baratos.

Como você pode não ter medo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário