18 de novembro de 2011

Violência


É uma força desconhecida
Enterrada em seu interior
Uma força contida,
Criptografada nas batidas do seu coração

Selvagens e inquietos
São os olhos do gato
Que no escuro, espreita os pensamentos

Os dentes prontos para rasgar
As presas fisgadas
Na profundidade de cada inocência,
Culpados por nunca saber...

Captura para um mundo fantasmagórico
Identidade solidão...
Fome controlada, quer dilacerar...


Nenhum comentário:

Postar um comentário