14 de novembro de 2011

Sonhos mortos


A vida que não vivi
É o caminho que escolhi
Acreditando em propósitos irreais

O que eu não disse
O que eu não fiz
As coisas das quais eu não sorri

Os olhares que não dei
O perdão que não concedi
O abraço que contive
E o braço que cruzei

As pálpebras que fechei, preferindo não ver
É a mágoa que guardei
O segredo que não compartilhei
O peso aqui dentro que não me desvencilhei

As palavras que não pesei...
Ouvi dizer:
"somos culpados por todo o bem que não fizemos"

E o bem que não fizemos
É o mal que cometemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário