4 de outubro de 2011

Despedida


Eu ainda te vejo por aí
E já não me importo!
Não quero mais lembrar do que nunca existiu
É que na verdade
Nunca houve porquê se torturar...

Minha vida encontrou-se com outros olhos,
Outro sorriso,
Que me levam a caminhos que nunca pude imaginar.

São momentos tão pequenos
Que valem por mil...
Mas que jamais valerão os gastos com você.

Mas devo respirar,
E resgatar-me do fundo desse lago negro
Saber que tudo passou...
E não carregar mais dúvidas.

Talvez um dia as coisas me venham
Assim de repente, e saberei por onde começar...
Estou me retirando.

Então eu digo:
Até um dia,
Até algum momento perdido por aí...

Nada é à toa!
Eu voei ao meu encontro."

Nenhum comentário:

Postar um comentário