17 de agosto de 2011

Relapso, ou Ciranda, ou Maresia


Alegro meu espírito
Respiro um novo ar
E em alegria me converto
Ao mais puro ser
Ereta, direta, metodicamente.

Simplesmente sorrio
No silêncio noturno
Enquanto os olhos sussurram
"Viver
Viver - apesar de tudo."

Um sorriso de criança
Aliviou-me a alma
Deu vida nova à carne
Nessa febre de existir.

Da voz da inocência
Trago lembranças do mar
Dos peixes que sonham
De nada,
Nadar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário