24 de julho de 2011

Ao tecer dos dias


Eu quero ver através dos teus olhos
Preciso traduzir a tua alma
Eu quero ser a cura
Pros teus dias solitários.

Eu quero te dar a mão.

Eu quero sentir o aroma
Desse único instante
Que estarei em seus sonhos.

Quero encontrar seus passos lá no fim
E limpar seus sapatos
Sujos de terra e discórdia.

E um dia eu quero sentir o sal
De tudo o que foi vivido
Nessas lágrimas que caem.

Eu quero apenas te abraçar
Pensar em tudo que já passou
E lembrar
Nem que seja por um instante
Que tudo é construído
Fio a fio
Nessa teia da vida,
Nessa teia de passos...

Do berço ao pó.

Foto

17 de julho de 2011

Um breve momento, numa cabana abandonada.

Não muito se espera da vida de um homem encoberto pela tristeza e solidão que traz a morte de um filho.
Mackenzie Allen Phillips, mais conhecido como Mack, perdeu sua pequena e inocente Missy em uma viagem à lazer, quando a filha foi sequestrada por um homem frio e psicopata, matador de meninas.
Mais tarde, evidências da morte de Missy foram encontradas numa velha cabana abandonada.
Desde então, a Grande Tristeza tomou conta da vida de Mack e de sua família.
Porém, quatro anos após a tragédia, um estranho bilhete - aparentemente escrito por Deus-, convida Mack para voltar à cabana onde aconteceu a tragédia.Apesar de desconfiado, Mack aceita o convite e volta ao cenário de seu mais terrível pesadelo. Mas o que ele encontra lá muda seu destino para sempre.
Em um mundo triste e cruel, levanta-se um questionamento muito comum: "se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar nosso sofrimento?"

É impossível ler A Cabana sem querer compartilhar esse grande livro com o maior número de pessoas possível. Nessa história, William P. Young aborda os questionamentos sobre Deus e religião de uma forma incrivelmente clara e sutil.
O livro nos mostra Deus, ou a Santíssima Trindade, como nunca aprendemos: não como um ser superior disposto a apenas julgar e castigar os homens, mas sim como o Criador, no seu jeito mais simples de ser; aquele Deus não somente presente na Igreja, mas sim o que se iguala aos seus filhos e os ama incondicionalmente, vivendo em cada um de nós. Deus é humano em Jesus, e força no Espírito Santo.
A individualidade e nosso falso discernimento do bom e do ruim nos afasta de nosso importante e vital - mas excluído -, verdadeiro relacionamento com Deus.
Um livro que toca profundamente e redireciona ao verdadeiro sentido do amor de Deus, que está lá, para quem quizer ver.

Ps:. Agradeço à minha amiga Isabele por me emprestar esse livro com tanta alegria, rs. :)

15 de julho de 2011

Na toca


Na qualidade de espectador
Viro, reviro
Vejo, revejo
Tantos pensamentos frágeis
Que remendam os trechos
Dessa vida sem fim.

Os carros deslizam pela estrada
Fugindo da solidão
E na pressa de satisfação
Retornam pra casa
Em uma falsa sensação de plenitude.

Esses olhos que vêem quase tudo
E captam os movimentos noturnos
Por sentir de mais
E por querer de mais
São os mais afastados.

Pois o medo que engole a mente
Corrói cada pedaço do seu ser
Tira o chão
Tira a dor
E substitui aquela
Simples (e por mais contraditória)
Complexa qualidade de observador.

Espectador...
Narrador-observador.



11 de julho de 2011

Intervenção


As janelas se fecham na noite
Uma dança abstrata
É desenhada no escuro.

Os olhos mostram
O que não querem ver
Nesse quebra-cabeça irreal
Do nosso mundo.

Foto