22 de março de 2011

Testemunha ocular.


Os ventos passam pela porta
Encontram vermelho sangue...
Encontram esperança.

Eu me sinto incomodado
Teorias não provadas
Rostos sem expressão.

As gotas caem sem sentido
Sua carne já não está tranquila
Já não há pra onde ir...

Vai embora, vai comigo,
Ou fica onde está...
Me observa a cada dia...

Cristais transparentes
Fogem do seu olhar.
Pés não querem voltar,
A chuva não quer cair.

Quem é você além do que eu posso ver?

Foto


9 de março de 2011

Uma pausa.


Minha paixão é escrever… mesmo que ninguém entenda as entrelinhas… mesmo que ninguém perca um segundo para ler… mesmo que entendam tudo e mesmo que um dia minhas entrelinhas naveguem por aí.
Minha paixão é escrever.
Acima de qualquer coisa, que faça sentido ou não.

6 de março de 2011

Cobra, lagarto, borboleta


A minha alma tem camadas. Tem marcas. Minha alma troca constantemente de pele. Cada vez fica mais fina... pra um dia não restar mais casa onde se abrigar, e se ver perdida, rumo talvez ao infinito. Ela muda, e a cada troca pode ser alguém diferente. Se completa com outras peles, outras almas, outros olhares. Mas no fim é sempre uma só, vivendo esse sopro do universo.