25 de fevereiro de 2011

Ultimato


Se um dia nasci, talvez fui feliz.
E o tempo vêm, nos leva daqui
A vida nos escontra num dia qualquer
E pra onde fugir?

E afinal de contas,
Vivi tudo o que me foi contado
Caminhei por estradas de ferro,
Vivi em lugares inimagináveis.

Entre ratos e almas
Sujos como um só
E agora o mundo
Não quer voltar pra mim.

Onde foram os ratos,
As almas?
Onde está minha querida
E distante infância?


O mundo onde vivo
Envelheceu diante de mim
Meus olhos caem,
Meu rosto tem entradas.

E onde estão as crianças?
Onde estão seus gritos e sorrisos?
Onde estão os jovens?
E se ninguém nascer,

E se eu morrer?


(Poema escrito na aula de Português, sobre o tema "A não-renovação das gerações".)

4 comentários:

  1. Muito bom... isso faz pensar na própria vida...
    Creio que receberá visitas nesta postagem! :]

    ResponderExcluir
  2. aaaaah. brigada. ♥
    poor que será que receberei née júlio? kkk

    ResponderExcluir
  3. Nossa, muito bom! Parabéns Glaúcia!
    muitas visitas pra vc!

    ResponderExcluir